Artigo - 3 dicas para praticar Tai Chi e Qigong em casa

Parte do processo do treinamento do Tai Chi e Qigong pode ser trabalhar em autoaperfeiçoamento ou trabalhar em direção a certos objetivos, como abrir e fortalecer partes do corpo, melhorar a respiração, prevenir e curar doenças, melhorar a energia e disposição, fortalecer os músculos, deixar o coração vigoroso, livrar-se do estresse e ansiedade dentre tantos outros objetivos. 

O Tai Chi e o Qigong são excelentes ferramentas para proporcionar as mudanças necessárias e que se deseja. Vamos apresentar aqui três ponderações para a prática em casa.

1. Procure amar a si mesmo e não apenas desejar uma mudança.

Sinta-se bem onde você está e com quem você é mesmo quando você deseja dominar e transformar algo em você. O Tai Chi e o Qigong podem ajudar você neste processo de amar a si mesmo e também de se respeitar. Então temos uma ferramenta para aprender a amar a si mesmo ao invés de apenas buscar por mudanças. E eis que quando você aprende a si amar abre as portas para as mudanças que busca.

2. Mantenha-se flexível e não obsecado pelas regras.

Não se torne obsecado pelas regras ou elas tolherão seu desenvolvimento. A prática pode ser uma interessante descoberta, curiosidade e um jogo de incrível aprendizado. Certa vez um renomado mestre de Tai Chi sendo entrevistado recebeu a seguinte pergunta do repórter: “Cite três pontos essenciais para a prática do Tai Chi Chuan”. O mestre respondeu: “Primeiro relaxar, segundo relaxar e terceiro relaxar”. Outro mestre me disse que com o avanço da prática temos de ser capazes de criar e mudar aspectos dos exercícios. Eu aprendi algumas rotinas de Qigong dos cinco elementos com mãos livres e depois disso fui capaz de criar rotinas com bastão e bola. Claro que tudo isto sendo obervadas as teorias da medicina tradicional chinesa, não se trata de uma invenção sem embasamento, mas você pode se divertir com estas novas ideias.

3. Sua prática é personalizada para o que seu corpo e mente precisa, então continue ouvindo.

Esteja atento ao que seu eu superior tenha a lhe dizer durante a prática. Muitas vezes somos informados por esta inteligência que este ou aquele exercício é mais benéfico pra nós. Quando o eu inferior se cala o Eu superior fala e o resultado será maravilhoso. Dizem que se leva cerca de dois anos para se aprender, ou melhor, compreender as rotinas do Tai Chi Chuan, contudo essa prática e pesquisa é doce, salutar e harmonizadora. Continue a ouvir enquanto você pratica o Tai Chi e o Qigong de acordo com o que seu corpo precisa, e também sintonizar em suas necessidades energéticas e emocionais. À medida que você descobre e decodifica sua autolinguagem, permita que sua prática alinhe com esse autoconhecimento e consciência. Nossa essência é pura e já harmoniosa, precisamos apenas deixar que esta essência se manifeste plenamente.

 

O Tai e o Qigong são essas ferramentas que proporcionam o retorno ao puro e belo. Boa prática!