Artigo - Conectando Mindfulness (Atencao Plena) e Tai Chi

Conectando Mindfulness (Atenção Plena) e Tai Chi

Nos parece difícil superar a diferença entre executar as formas de Tai Chi e melhorar nosso estado meditativo-consciente. Por um lado, executar as formas nos faz sentir melhor logo a seguir.

Cultivar o poder de cura da atenção plena requer muito mais do que seguir mecanicamente uma receita ou um conjunto de instruções. Nenhum processo real de aprendizagem é assim. É somente quando a mente está aberta e receptiva que o aprendizado e as mudanças podem ocorrer. Ao praticar a atenção plena, você terá que trazer todo o seu ser ao processo. Você não pode simplesmente assumir uma postura meditativa e esperar que algo magicamente aconteça, não se trata de uma música especial, um lugar tranquilo ou uma roupa confortável e achar que isso vai “fazer algo”.

O principal pesquisador sobre Mindfulness, Jon Kabat-Zinn, fala de grandes pilares de mindfulness que podem ser abordados simultaneamente ou individualmente para levar a um estado mental maior. Através do trabalho de Wiseman sabemos que o movimento físico pode produzir estados emocionais desejados. Vou usar este ensaio para interpretar 5 dos Pilares de Zinn de Mindfulness em termos de fazer as formas de Tai Chi.

1. Não julgar

Mindfulness é: "a consciência que surge de prestar atenção de propósito no momento presente, sem julgamento. (Podemos comparar aqui ao Wu-Wei = Ação sem ação que se fala no Taoismo)". Nós gastamos uma grande parte de nossas horas de vigília julgando e criando opiniões sobre todas as nossas ações e coisas que acontecem em torno de nós. Muitas vezes somos mais severos com nós mesmos quando estamos aprendendo algo novo ou estamos tentando melhorar a nós mesmos. Nosso trabalho não é tentar desligar isso, mas testemunhá-lo acontecendo, ou seja, apenas observar. Ver-nos como separados do processo de julgamento para que possamos desfrutar, experimentar e ver as coisas como elas realmente são. Leia: não julgue sua forma enquanto você está fazendo isso. Aprecie o processo e saiba que esta é (atualmente) sua melhor tentativa.

2. Paciência

Você quer completar a forma de Tai Chi mais do que você deseja executá-lo? O subproduto da pressa é que nunca estamos mentalmente felizes ou presentes com o que realmente está acontecendo. Paciência; A crença de que as coisas se desenrolam à sua maneira, nos permite desfrutar os milhões de minutos do processo e não apenas o único segundo de conclusão.

3. A Mente do Iniciante

A mente do novato retorna a emoção às nossas atividades diárias repetitivas. Cada vez que voltar a fazer a forma do Tai Chi estamos melhor do que a última vez simplesmente devido à nossa experiência. Quantos de nós se concentram nos poucos movimentos que não podemos lembrar versus os muitos que fazemos bem? Um iniciante está aberto a infinitas possibilidades e não está olhando para a "tarefa" de fazer a forma através de uma lente negativa.

4. Confiança

"Podemos vir a confiar na sabedoria natural do corpo?" Nós tomamos nossa respiração e batimentos cardíacos por certo até que algo ruim aconteça? O Tai Chi nos dá a oportunidade de ouvir a respiração, pensar sobre o que estamos olhando, etc. Levar a consciência a todos os processos corporais que ocorrem naturalmente sem a nossa intervenção aumenta nossa confiança e pode aumentar nossa confiança em situações que podem não estar 100% em nosso controle (Também conhecido como cada situação).

5. Sem esforço

Tai Chi é uma rara oportunidade onde podemos deixar as coisas serem como são. Tai Chi é uma tremenda disciplina para nos mostrar que podemos estar presentes e estar completando algo, ao invés de ignorar o nosso momento presente e correr para algum objetivo futuro. Kabat-Zinn compartilha que a mentalidade presente é tremendamente curativa e restauradora.

 

Mindfulness e Tai Chi "A atitude com que você empreende a prática de prestar atenção e estar no presente é crucial. É o solo no qual você estará cultivando sua habilidade para acalmar sua mente e para relaxar seu corpo, para se concentrar e para ver mais claramente. Se o solo atitudinal estiver esgotado, isto é, se sua energia e compromisso com a prática são baixos, será difícil desenvolver calma e relaxamento com alguma consistência. Se o solo está realmente poluído, isto é, se você está tentando se forçar a se sentir relaxado e exigir de si mesmo que "alguma coisa aconteça", nada crescerá e você concluirá rapidamente que "a meditação não funciona". Portanto, o segredo está no AGORA e no estado absoluto de serenidade e desprendimento.